INSTITUTO HUMANISTA DE PSICOTERAPIA Webmail
          HOME | CONHEÇA O IHP | EQUIPE | TEMAS ATUAIS | FALE CONOSCO
 
      Tel.: (31) 3371 6098


A VIDA QUE FLUI DENTRO DE CADA UM

Em tempos de isolamento social, os psicólogos têm sido chamados a uma colaboração mais próxima com as pessoas e com as equipes de saúde, aí incluída a saúde mental. Somos chamados a cuidar, a prestar assistência psicológica, porque as pessoas estão adoecendo, de medo, de angústia, de solidão, de insegurança e incertezas face à Covid 19.

Lembrei-me de uma afirmação de Gendlin: “ Enfermidade é viver na rotina, com valores alheios, sem nunca haver estado em contato com a vida que flui dentro de cada um, sem haver sentido a complexidade das próprias experiências, que é de onde surgem as alternativas.”

Em tempos de risco de morte, podemos ajudar as pessoas a entrar em contato com a vida que flui dentro de cada um.

Leia mais em Temas Atuais


A formação de psicoterapeutas conforme os princípios da Abordagem Centrada na Pessoa

No cenário das teorias sobre a psicoterapia, Rogers introduz uma visão completamente nova, que ele mesmo considera como uma mudança de paradigma. As  teorias vigentes até então (e muitas delas vigoram ainda hoje)  se baseavam num modelo  explicativo  do comportamento, segundo uma visão ortodoxa de fazer ciência, com base na experimentação e busca da objetividade. A psicoterapia  centrava-se na teoria e no terapeuta.


Rogers se opõe a este modelo. Adota o modelo compreensivo  de fazer ciência. Sua prática deixa de ser centrada na teoria e passa a centrar-se no cliente. Valoriza o aspecto vivencial do processo, a relação  terapeuta-cliente pautada nas atitudes de  empatia, congruência e  consideração positiva incondicional pelo cliente. 


“ O que estou dizendo é que  o encontro existencial  é que é importante e que, no momento imediato, do relacionamento terapêutico, a  consciência da teoria não tem um lugar útil. “(Rogers, Tornar-se Pessoa)
“Na medida em que estamos pensando  teoricamente na relação, tornamo-nos expectadores e não participantes  e é como participantes que somos eficientes.”  (Rogers, Tornar-se Pessoa)


Este é o ponto de vista que adotamos como  referência  para o projeto pedagógico de nosso curso de formação de psicoterapeutas.


Daí, surge a questão:  Como facilitar, em nosso aluno, o desenvolvimento das atitudes necessárias para uma prática centrada no cliente?

 
A resposta  também encontramos em Rogers: promovendo uma aprendizagem significativa no aluno,  que considere, não só a dimensão teórica e técnica,  mas vise a uma mudança na própria pessoa do psicoterapeuta.


Por isso, nosso curso alia a dimensão teórica-prática-experiencial, com a vivência do atendimento de clientes e a supervisão. Assim,  além do conhecimento da teoria e das técnicas, o aluno pode desenvolver as atitudes que Rogers denomina facilitadoras do desenvolvimento do cliente.


Acreditamos que:


.... psicoterapia é,  sobretudo, uma  relação interpessoal de boa qualidade;


... é o cliente quem sabe o que é melhor para ele;  podemos confiar nas suas escolhas; ele tem os critérios para  tomar decisões e avaliá-las;


... é necessário deixar de lado a interpretação, o julgamento  e simplesmente facilitar o processo, pelo cliente, de entrada em contato com sua própria experiência;


...  o sucesso do processo não depende da abordagem teórica  do profissional, mas de suas atitudes na relação com o cliente.


É com este modelo e com estas concepções que contribuímos, no Instituto Humanista de Psicoterapia, para o  processo de formação de psicólogos centrados na pessoa.

Ana Maria Sarmento Seiler Poelman
Diretora Executiva do IHP
Professora e supervisora do curso de Formação de Psicoterapeutas








OBJETIVO
Desenvolvimento de habilidades clínicas/terapêuticas teórico-práticas em psicoterapia de crianças e adolescentes sob uma perspectiva Humanista e Fenomenológica.

A QUEM SE DESTINA O CURSO
Estudantes e profissionais da área de Psicologia e Medicina

Carga horária TOTAL: 50h - 14 encontros (14 x 3h = 42 horas) + 08 horas de estudo dirigido.

PERÍODO:  19/06/21 a 16/10/21
Sábados - Horário: 09 às 12 h

INVESTIMENTO: 4 parcelas de 290 reais

INSCRIÇÕES: acesse link https://forms.gle/eDPLwHCu8xhLjAFr5

Ver mais detalhes





CURSO DE FORMAÇÃO DE PSICOTERAPEUTAS:

LINK PARA INSCRIÇÃO



Instituto Humanista de Psicoterapia
Curso de Formação de Psicoterapeutas/ Abordagem Centrada na Pessoa
Nosso referencial teórico


1. Todo ser humano tem a capacidade de crescer, de aperfeiçoar-se, de realizar-se plenamente como pessoa; para desenvolver-se no sentido de maior diferenciação, mais maturidade e sociabilidade. E tem a tendência a exercer sua potencialidade, sendo capaz de conhecer-se e resolver seus problemas da melhor maneira, dentro dos limites de cada situação.

2. Esta capacidade e tendência são inerentes ao homem. Fazem parte de sua bagagem natural, mas sua atualização não acontece por si só. Depende de clima humano propício, desprovido de ameaças ao eu.

3. Se a pessoa não encontra, nas relações interpessoais que estabelece ao longo de sua existência, as condições favoráveis necessárias, seu desenvolvimento é barrado, fica estagnado. Ao mesmo tempo, a imagem que faz de si mesma fica ameaçada e a pessoa não está mais aberta para a experiência, nem disponível para se envolver em relacionamentos humanos enriquecedores, ou dedicar-se a atividades que a conduzam a crescimento saudável.

4. Essa concepção é radical, formulada em tese. Na prática, podemos dizer que a atualização das potencialidades acontece nas pessoas, em graus variados. Todos estamos no processo de crescer, de deixar manifestar-se a tendência atualizante e cada um de nós consegue isso em algum grau; mas poderia avançar mais.

5. Por quê? Acreditamos que, em algum grau, a cada um de nós faltaram essas condições. Quais são essas condições? Para desenvolver-se no sentido de sua autorrealizção, é preciso que a pessoa encontre um clima humano no qual as relações interpessoais sejam calorosas, que ela seja considerada e respeitada como pessoa.

6. Se a pessoa pode viver sua experiência, particularmente as experiências que se referem ao eu, se pode tomar plena consciência de seus pensamentos, desejos e sentimentos, necessidades, etc, sem precisar de negá-los ou deformá-los (por medo de punição ou ameaça de não ser aceita ou não ser apreciada pelas pessoas que ela valoriza) então haverá correspondência entre sua experiência real, vivida e suas percepções. E se há estreita correspondência entre experiência e percepção, então, o comportamento será adequadamente guiado. Ao tomar consciência de sua experiência, a pessoa é capaz de avaliá-la, verificá-la, manter ou corrigir seu rumo na vida. Assim, a pessoa se realiza, cresce. A disponibilidade da experiência permite autoavaliaçãoe autocorreção.

7. Se essas condições faltarem em grau significativo e de forma duradoura, a pessoa se distancia de sua experiência interna, daquilo que é genuinamente seu, aliena-se de si mesma, para livrar-se da ameaça de perder a aceitação ou apreciação do outro.

8. Nossa função (como pais, educadores, psicoterapeutas, facilitadores do crescimento humano) é oferecer à criança, aos jovens, aos adultos, um clima humano favorável a que ela possa entrar em contato consigo mesma, reconhecer, acolher e aceitar suas necessidades, sentimentos, preferências. Assim, ela ou ele se mostra aberto para sua experiência e para e rever a imagem que tem de si, ampliando-a, atualizando-a, constantemente, de acordo com suas vivências. Nossa função é ajudar cada um a manter e desenvolver uma visão de si mesmo como pessoa cheia de valor, com dons e capacidades, disponívelpara o encontro com o outro; é contribuir para que cada um se dê conta de que mesmo seus defeitos, imperfeições, limitações, deficiências, fraquezas etcnão diminuem seu valor como pessoa e, por isso mesmo, não precisam de ser excluídos de seu campo de percepção, de sua auto-imagem.

9. Como psicoterapeutas, nossa função é proporcionar a nossos clientes um clima de respeito, de acolhimento e consideração tal, que elas se sintam seguras o bastante para se reaproximarem de sua experiência (especialmente daqueles sentimentos que foram vividos mas não adequadamente percebidos) e sejam capazes de reformular, de atualizar sua auto-imagem de forma mais realista, mais compatível com o momento que estão vivendo.

( * ) Texto baseado nas ideias de Carl Rogers.





Rua Aristóteles Caldeira, nº 669, Barroca, Belo Horizonte/MG - Tel.: (31) 3371 6098

E-mail:
contato@institutohumanista.com.br